Você está aqui

Notícia

< Voltar

Notícia < Voltar

Campus: 
Tijuca
Barra
Cabo Frio

Professor da UVA alerta sobre riscos ao se exercitar em casa

Universidade Veiga de Almeida   |    Tijuca Barra Cabo Frio

Para Marcio Baptista, membro do Conselho Regional de Educação Física (CREF), treinos compartilhados por artistas e blogueiros na internet podem ser nocivos para quem não tem condicionamento físico adequado

 

Em tempos de quarentena, necessária para prevenir o avanço novo coronavírus, academias, centros de treinamento e de ginástica foram fechados em todo o país. Ao mesmo tempo, têm aumentado o número de postagens nas redes sociais com dicas de exercícios físicos, feitas por artistas, blogueiros fitness e até profissionais de educação física. Apesar da necessidade de a população manter-se em movimento durante o isolamento social, Marcio Baptista, professor de Educação Física da Universidade Veiga de Almeida (UVA), alerta para os riscos de fazer atividades físicas por conta própria.

 

“O exercício é imprescindível para a saúde física e mental neste momento, mas é importante entender que cada pessoa tem necessidades e níveis de condicionamento diferentes. A atividade física deve ser orientada apenas por profissionais devidamente habilitados, com registro profissional, seja presencialmente, seja à distância”, ressalta Baptista, que também é membro do Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro (CREF-RJ) e mestre em Motricidade Humana. “Sem acompanhamento, os treinos podem causar lesões e outras complicações mais sérias para a saúde”, completa o especialista.

 

Segundo Baptista, os Conselhos Regionais da categoria têm dificuldade de fiscalizar e monitorar essas práticas, porque só são consideradas ilegais se as postagens forem aulas orientadas e não apenas movimentos, como o chamado “treino do dia”. “A população deve ter consciência de que essas postagens podem ser prejudiciais à saúde devido a fatores como individualidade biológica, sobrecarga e continuidade”, diz o profissional. Portanto, exercícios de baixa intensidade, de alongamentos e mobilidade articular são os mais indicados atualmente.

 

Ginástica laboral é recomendada para profissionais que estão trabalhando em casa

 

Outra dica de Baptista, especialmente para quem está trabalhando em regime de home office, é inserir na rotina movimentos de ginástica laboral.  Exercícios de pausa durante o horário de trabalho são primordiais para o bem-estar, como alinhamento postural, automassagem e alongamentos. Além dos controversos vídeos de treinos mirabolantes, que podem não ser recomendados para qualquer pessoa, também há uma série de materiais instrutivos na internet elaborados por profissionais de educação física, com séries de ginástica laboral para ajudar a prevenir problemas físicos decorrentes da permanência na mesma posição física.

 

“É preciso ter cautela com o que se vê nas redes sociais. Caso não pratique regularmente exercícios sob a orientação de um profissional, a recomendação é não usar este período para se condicionar, mas, sim, apenas para se manter ativo”, finaliza o professor da UVA e especialista em Bases Biomédicas no Treinamento Físico.

 

 

15/abr/2020

Tema:
UVA,