Guia completo da Medicina Veterinária: curso, carreira e mercado

Você sabia que, para aqueles que sonham em cursar uma faculdade de Medicina Veterinária, o mercado promete muito mais que a atuação clássica em instituições de cuidados clínicos e cirúrgicos para cães e gatos?
Indo muito além do cuidado e tratamento de doenças em animais domésticos, uma carreira profissional de sucesso em Medicina Veterinária pode envolver atuações bastante variadas na sociedade e em setores pouco conhecidos pela população em geral.
Nesta formação, é possível trabalhar com segmentos como:
  • Preservação de espécies silvestres e ameaçadas;
  • Manipulação de alimentos de origem animal;
  • Agropecuária;
  • Vigilância sanitária;
  • Pesquisa e o desenvolvimento de medicamentos para a área;
  • Controle de zoonoses;
  • Genética e reprodução animal,
  • entre outras áreas.
Quer saber mais sobre esse setor tão vasto e cheio de oportunidades de grande valor? Então, acompanhe o artigo e fique por dentro de tudo sobre a origem e o mercado de Medicina Veterinária no Brasil e no Mundo. Confira.

HISTÓRIA DA MEDICINA VETERINÁRIA

Quando o homem primitivo começou a domesticar os animais, a Medicina Veterinária deu seus primeiros passos rumo à evolução. Os registros mais antigos da atividade profissional dos indivíduos que atuavam em favor da saúde dos animais datam do século XVIII a.C., com referências gravadas no Papyrus Veterinarius de Kahun, ou “Papiro de Kahoun”.
Esse documento tratava sobre o estudo e aplicação de práticas de tratamentos e cura de animais, indicando, inclusive, procedimentos complexos de diagnóstico, prognóstico, sintomas e tratamento de doenças de diversas espécies.
Os primeiros “médicos dos animais” foram mencionados nos códigos de ESHN UNNA (1900 a.C) e de HAMMURABI (1700 a.C), que tiveram origem na Babilônia, capital da antiga
Mesopotâmia. Já no continente Europeu, os primeiros registros sobre a prática de cuidar e tratar de animais foram encontrados na Grécia, no século VI a.C., no qual pessoas que praticavam a cura dos animais, chamadas de hipiatrias, eram indicados para cargos públicos reservados em grandes cidades.
Mesmo assim, a Medicina Veterinária como conhecemos hoje só teve sua origem registrada em 1762, quando em Lyon, na França, Claude Bourgelat deu origem à primeira Escola de Veterinária do mundo, seguido por Maison Alfort, nos arredores de Paris, em 1765.
Essas duas escolas constituíram verdadeiros centros irradiadores de conhecimento para as demais nações, resultando em muitos outros cursos voltados para a área, se espalhando por todo o mundo. Com isso, até o final do século XVIII, 20 estabelecimentos de ensino veterinário surgiram na Europa.
Em terras brasileiras, a criação de estabelecimentos dedicados ao estudo da Medicina Veterinária surgiu após a visita do imperador Dom Pedro II à Escola Veterinária de Alfort, em 1875.
Após o evento, o monarca empenhou esforços para dar início às instituições, mas sua concretização só foi possível sob a égide da República, com o Decreto 8.319 de 20 de outubro de 1910, assinado pelo presidente Nilo Peçanha. Essa ação tornou o ensino da Medicina Veterinária obrigatório no país.
No mesmo ano, a Escola de Veterinária do Exército e a Escola Superior de Agricultura e Veterinária foram criadas no Rio de Janeiro. O ensino era dirigido, inicialmente, à produção animal, principalmente dos bovinos, que eram contaminados e sofriam com doenças como anaplasmose e babesiose, transmitidas pelos carrapatos. Logo em seguida, uma grande movimentação por parte das instituições de ensino deu origem à clínica de pequenos animais e a saúde pública veterinária. Seus trabalhos se iniciaram com a campanha contra o mormo, doença que atacava os cavalos e os soldados.
Os primeiros profissionais formados nos cursos de Medicina Veterinária no Brasil graduaram-se em 1917. Três anos depois, a Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária (SBMV) foi fundada. Mas somente em 9 de setembro de 1933, com o Decreto 23.133, o primeiro diploma legal a regulamentar a Medicina Veterinária foi concedido no país, estabelecendo a data como o Dia Nacional do Médico Veterinário em comemoração a essa importante conquista.
Em 23 de outubro de 1968, a aprovação da Lei 5.517 estabeleceu a segunda regulamentação e deu origem ao Conselho Federal e aos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária. Isso contribuiu para o reconhecimento da profissão e para o aprimoramento das técnicas e ações humanitárias que trazem evolução ao setor até os dias atuais.

A ALTA DEMANDA DO MERCADO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE ANIMAL

A evolução da indústria e do segmento pet já é uma realidade que movimenta mais de R$ 40 bilhões no Brasil. O motivo dessa quantidade é o aumento do número de animais domésticos presentes nas famílias brasileiras – cerca de 139 milhões de pets, segundo uma pesquisa do Instituto Pet Brasil (IPB) de 2019. O setor apresenta uma tendência de crescimento que parece ter chegado para ficar, aumentando a necessidade de especialistas e aquecendo o mercado de trabalho para os médicos veterinários com múltiplas oportunidades.
A criação de clínicas veterinárias e o desenvolvimento de inovadores laboratórios especializados em saúde animal ampliou o leque de oportunidades para os profissionais interessados em atuar nessa área. Mesmo assim, as áreas de atuação para um médico veterinário não se restringem ao segmento pet. Outras vertentes, como a preservação ambiental e das espécies, a indústria alimentícia e até o setor especializado em terapia com animais, como a equinoterapia, por exemplo, também vêm apresentando um crescimento acelerado desde 2017.
Com isso, encontram um mercado bastante aquecido e concorrido, mas ainda carente de profissionais especializados aqueles que desejam:
  • se dedicar ao cuidado dos animais domésticos ou silvestres;
  • atuar diretamente na saúde pública e no controle de produtos de origem animal;
  • liderar pesquisas e desenvolver soluções para a indústria encontram um
As possibilidades são inúmeras e a promessa é de que o setor se movimente e expanda ainda mais dentro dos próximos anos, exibindo novas perspectivas para o futuro do trabalho dessa área.

COMO É O CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA?

Com duração média de 5 anos, o curso de Graduação em Medicina Veterinária é uma formação de ensino superior do tipo bacharelado na qual o aluno é apresentado a disciplinas nas áreas Biológicas, Exatas e Sociais.
Com uma grade curricular extensa e que exige muita dedicação e estudo, durante o curso o aluno recebe uma formação voltada à promoção da saúde animal e adquire uma visão ampla sobre temas fundamentais para o exercício da profissão, tais como:
  • Administração Rural;
  • Anatomia Veterinária;
  • Anestesiologia;
  • Bioestatística;
  • Bioética e Bem-Estar Animal;
  • Biofísica;
  • Bioquímica;
  • Clínica Ambulatorial;
  • Clínica de Grandes Animais;
  • Clínica de Pequenos Animais;
  • Deontologia e Ética Veterinária;
  • Diagnóstico por Imagem;
  • Doenças Infecciosas dos Animais;
  • Doenças Parasitárias dos Animais;
  • Ecologia Básica;
  • Economia Rural;
  • Eficiência Reprodutiva de Rebanhos;
  • Embriologia Animal;
  • Epidemiologia;
  • Estágio Curricular Supervisionado;
  • Farmacologia Veterinária;
  • Fisiologia Animal;
  • Forragicultura;
  • Genética e Evolução;
  • Histologia Veterinária;
  • Imunologia Veterinária;
  • Inspeção de Alimentos de Origem Animal;
  • Introdução à Medicina Veterinária;
  • Laboratório Clínico Veterinário;
  • Melhoramento Genético Animal;
  • Microbiologia Veterinária;
  • Nutrição e Alimentação Animal;
  • Parasitologia Veterinária;
  • Patologia Clínica Cirúrgica Animal;
  • Patologia Geral;
  • Patologia Veterinária;
  • Piscicultura;
  • Políticas de Desenvolvimento Rural;
  • Produção de Bovinos de Corte;
  • Produção de Bovinos de Leite;
  • Produção de Caprinos e Ovinos;
  • Produção e Sanidade de Aves;
  • Produção e Sanidade de Suínos;
  • Reprodução Animal;
  • Saúde Pública;
  • Semiologia Animal;
  • Sociologia Rural;
  • Técnica Operatória;
  • Tecnologia de Alimentos de Origem Animal;
  • Toxicologia Veterinária;
  • Zootecnia Geral;
  • E mais.
As atividades práticas também fazem parte da rotina dos estudantes de Medicina Veterinária, que desenvolvem e usam seus conhecimentos em atuação supervisionada em laboratórios, hospitais veterinários e estágio curricular obrigatório em instituição ou empresa credenciada.
Atualmente, a graduação encabeça o ranking dos cursos superiores mais concorridos do país, atraindo mais e mais pessoas que desejam focar seus propósitos de carreira no setor e contribuir com a importante relação entre o bem-estar animal e o desenvolvimento da sociedade e dos seres humanos.
Lembrando que, para exercer a profissão, é obrigatório o diploma de nível superior e o registro no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) do estado de atuação.

EM QUAIS ÁREAS O MÉDICO VETERINÁRIO PODE ATUAR?

Os campos de atuação de Medicina Veterinária são muito diversos e ampliam as chances de empregabilidade do profissional que investe em boa qualificação e especialização. De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), são mais de 80 áreas de atuação associadas à saúde animal, trazendo ao médico veterinário muitas possibilidades dentro de um mercado de trabalho bastante promissor.
Mesmo com as mudanças que a pandemia da covid-19 trouxe para o futuro do trabalho, a área de Medicina Veterinária permanece em alta e promete viver um progresso ainda maior nos próximos anos. Com isso, quem tem a Medicina Veterinária como profissão ideal pode escolher entre grandes frentes de trabalho no setor. Confira algumas delas!

VETERINÁRIA CLÍNICA E CIRÚRGICA

Como a mais famosa e mais concorrida atuação da área, a veterinária clínica e cirúrgica é onde o profissional coloca seus conhecimentos em prática para oferecer atendimento clínico aos animais domésticos e silvestres. A profissão pode ser exercida em locais como clínicas públicas e particulares, hospitais, consultórios e pet shops, para receber cães, gatos, aves, répteis, roedores, entre outros.
Nesta vertente, o veterinário presta cuidados aos animais por toda a sua vida, diagnosticando doenças, aplicando vacinas e vermífugos, controlando zoonoses e parasitas e lidando com procedimentos práticos do dia a dia, como exames e check-ups.
Outra atuação do médico veterinário que trabalha no setor são os procedimentos de castração, partos naturais e cesarianas e outras intervenções cirúrgicas necessárias para manter e promover mais a saúde e qualidade de vida para os animais.

MEDICINA VETERINÁRIA AMBIENTAL

A biodiversidade brasileira é um dos maiores motivos pelos quais o desempenho do médico veterinário na área da conservação das espécies tem se tornado cada vez mais reconhecida e importante socioeconomicamente. Atuando nesse ramo da Medicina Veterinária, o profissional se depara com grandes frentes de trabalho que visam manter a diversidade biológica e a qualidade de vida dos animais silvestres e domésticos do país.
Ele pode trabalhar diretamente com:
  • Programas de controles ambientais, saneamento e conservação da fauna;
  • Pesquisa e proposição de políticas públicas focadas na manutenção das comunidades para preservação de espécies em risco de extinção;
  • Cuidar da saúde das espécies, identificando doenças e contribuindo para a preservação e bem-estar dos animais silvestres;
  • Cuidar da reabilitação de animais em cativeiro em centros e criadouros voltados para a adaptação de indivíduos para que sejam devolvidos à natureza também faz parte da rotina dos profissionais que atuam com conservação de espécies silvestres.

CRIAÇÃO DE ANIMAIS, PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL e AGRONEGÓCIO

Ideal para os profissionais que desejam trabalhar no campo com animais de porte grande, como vacas, cavalos, porcos, bodes e outros, o agronegócio abre portas para essa excelente oportunidade. Dentro deste setor, inúmeras atividades fazem parte do dia a dia do médico veterinário, com por exemplo:
  • Atuação em fazendas de criação para produção de alimentos de origem animal, como leite, ovos e carne;
  • Cuidado com a saúde e prevenção de doenças nos animais;
  • Assessoria para garantia da qualidade dos produtos e a preservação do status sanitário da fazenda.
Neste sentido, o médico veterinário é o responsável por disseminar as boas práticas de manejo animal, atuando ativamente na manutenção da comunidade animal rural, com práticas decisivas na produção de alimentos em favor do cuidado da saúde dos rebanhos e do controle da vacinação. Além disso, seu papel é fazer com que os estabelecimentos sigam as normas legais para produção de insumos de origem animal, inspecionando as dependências e orientando quanto a nutrição dos animais, além da prevenção e o tratamento de doenças.
Dentro do agronegócio, o profissional de veterinária também pode atuar com inseminação artificial de animais e na pesquisa e desenvolvimento de recursos para o melhoramento genético dos rebanhos e plantéis, aprimorando o seu patrimônio genético.

PERÍCIA  MÉDICA VETERINÁRIA

Concursos, exposições e competições também precisam de um médico veterinário especializado, responsável por avaliar e verificar a saúde e as condições de manejo e acomodação dos animais participantes. Além disso, estes profissionais asseguram que os bichos estejam dentro das normas estabelecidas e realizam exames para garantir a verificação de quaisquer irregularidades através da ingestão de substâncias proibidas pelas regras da competição (antidoping).
De modo geral, a perícia consiste em:
  • Garantir o bem-estar dos animais;
  • Investigar casos de maus-tratos e crimes contra os mesmos;
  • Elaborar laudos técnicos;
  • Investigar riscos de contaminação (epidemiológicas e químicas);
  • Investigar produção de alimentos para consumo da população.
  • O cargo de perícia é, normalmente, ofertado pela Polícia Federal e exige que o profissional preste concurso público para se candidatar.

DESENVOLVIMENTO E PESQUISA

Enquanto pesquisador, o médico veterinário é o responsável pelo estudo das mais diversas espécies de animais, aprofundando-se em assuntos fundamentais para garantir o bem-estar e a conservação das espécies, a fim de compreender os comportamentos e métodos de vida dos animais. Assim, ele atua para combater a extinção de animais ameaçados e na preservação das espécies que ainda não estão em risco de extinção.
Como parte do dia a dia do profissional, as pesquisas científicas são voltadas para assuntos como:
  • Melhoramento genético;
  • Reprodução;
  • Alimentação;
  • Desenvolvimento de biotecnologias;
  • Clonagem;
  • Transgenia;
  • Desenvolvimento de medicamentos;
  • Produção de medicamentos e vacinas;
  • Equipamentos clínicos;
  • Inovações tecnológicas.
A fabricação de produtos alimentícios e vitaminas para animais também é fundamental para direcionar os estudos para essa esfera.

MEDICINA VETERINÁRIA ESPORTIVA

Dentro da área esportiva, o médico veterinário trabalha diretamente com os animais que participam de competições e eventos esportivos. Seu papel é diagnosticar e tratar lesões e problemas que os acometem por conta do esforço físico, além de evitar doenças e demais transtornos relacionados à saúde ao longo da competição.

VIGILÂNCIA E INSPEÇÃO SANITÁRIA

Atuando no setor público, o veterinário que trabalha na área de vigilância e inspeção sanitária é fundamental para a manutenção da saúde pública e fiscalização das indústrias que produzem alimentos de origem animal, assim como das empresas que produzem alimentos para os animais.
Neste setor, seu papel é monitorar a higiene no abate, transporte, fabricação e armazenagem dos produtos, fiscalizar a entrada e saída de animais e produtos a fim de estabelecer uma barreira sanitária. Além disso, também tem como função evitar a propagação de doenças com grande poder de difusão e garantir a segurança alimentar sanitária dos produtos de origem animal, atuando assim em prol do desenvolvimento do setor agropecuário e da defesa dos direitos dos consumidores.
O trabalho do médico veterinário também envolve a fiscalização de estabelecimentos como supermercados e frigoríficos, para assegurar o cumprimento de todas as regras e exigências sanitárias presentes na legislação, respeitando as orientações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
Como vimos, são inúmeras as possibilidades de atuação de um médico veterinário. Com frentes de trabalho tão promissoras, os setores que apresentam as maiores tendências de crescimento e oferecem as melhores oportunidades de atuação são:
  • Segmento de pets;
  • Institutos de pesquisa;
  • Atendimento clínico e cirúrgico de animais domésticos;
  • Laboratórios de controle microbiológico e físico-químico de alimentos;
  • Conservação de espécies;
  • Agronegócio;
  • Indústria de produtos de origem animal;
  • Indústria de produtos para animais domésticos;
  • Universidades;
  • Perícia técnica;
  • Órgãos fiscalizadores (MAPA);
  • Produção e sanidade animal;
  • Pesquisa e desenvolvimento de melhoramento genético;
  • Fazendas e zoológicos;
  • Saúde pública veterinária;
  • Instituições de desenvolvimento tecnológico,
  • entre outras.

QUAL O PERFIL DE QUEM CURSA MEDICINA VETERINÁRIA?

Como já dito, o amor pelos animais é apenas uma das qualificações para quem deseja ter uma sólida carreira na Medicina Veterinária. De modo geral, preocupar-se com o bem-estar animal é o primeiro passo para escolher a graduação e se dedicar a ela, mas há outras características que também podem definir seu sucesso.
             

Ainda está na dúvida sobre como escolher a sua graduação e quer descobrir qual a melhor carreira para o seu perfil? Então, leia o “Teste Vocacional: como ele pode ajudar na escolha do seu curso”

A atuação exige que o profissional lide com situações estressantes, tristes, perigosas e até extremas em seu dia a dia. Por esse motivo, a capacidade de manter a calma e alerta em momentos críticos é fundamental. Além disso, é necessário ter as seguintes características:
  • perfil inovador;
  • muita responsabilidade social;
  • bom relacionamento interpessoal;
  • ética,
  • trabalho em equipe;
  • empatia;
  • boas habilidades para exercitar o pensamento crítico;
  • agilidade para tomar decisões e conseguir atuar sob pressão;
  • muito comprometimento e vontade de aprender.

CARGOS E SALÁRIOS

No Brasil, o salário de um médico veterinário varia de R$ 3.807,85, a R$ 4.383,72. Dependendo da especialização e da área de atuação escolhida, a média salarial de um veterinário gira em torno de R$ 6.580,97. Variando de acordo com sua localidade e setor, os valores podem ultrapassar os R$ 9.178,62.

COMO O PROFISSIONAL PODE SE DESTACAR

Em um mercado de trabalho tão vasto e concorrido, é preciso se destacar para conquistar as melhores oportunidades. Com isso, quem deseja unir o amor e a dedicação aos animais à muita pesquisa e estudo, precisará investir em especializações, como cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado.
Outro ponto importante para aqueles que desejam prosperar na carreira é o desenvolvimento constante das principais habilidades profissionais que as empresas buscam, como inteligência emocional, perfil de liderança, boa comunicação e flexibilidade. Além disso, o profissional de Medicina Veterinária precisa ser dedicado e nutrir um interesse nato por aprender e evoluir, pois os estudos e aprimoramentos são constantes nessa área. Como parte de algumas de suas aptidões fundamentais para ter sucesso, o foco para trabalhar de forma ética, a busca por especialização e atualização constante e a disciplina são fundamentais.
Como visto, a carreira em Medicina Veterinária é bastante desafiadora, mas pode ser apaixonante, muito próspera e cheia de novas possibilidades de atuação.
Essa é uma área que promete manter seu crescimento acelerado nos próximos anos, o que torna mais simples a tarefa de escolhê-la como a profissão ideal para aqueles que desejam dedicar suas vidas aos animais e à preservação do meio ambiente.
Aqui na UVA você encontra uma excelente graduação em Medicina Veterinária para iniciar sua carreira! Gostou do artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e deixe seus amigos por dentro de todas as nossas atualizações.