Como funciona o Enem: entenda o programa, as provas e dicas para se dar bem!

No Enem 2020, 5,8 milhões de estudantes fizeram suas inscrições para realizar a prova, de acordo com o Inep. Só por aí já é possível ter uma dimensão da importância que esse exame ganhou nos últimos anos. Hoje, muitas das melhores universidades do país utilizam o desempenho dos candidatos como forma parcial ou integral de ingresso no Ensino Superior.
Mesmo diante desse número expressivo de estudantes que prestam o exame todos os anos, muitos desconhecem como funciona o Enem. Em consequência, deixam-se levar pela ansiedade nas vésperas da prova, que pode afetar drasticamente a concentração na hora de colocar os conhecimentos em prática – mesmo depois de terem estudado tanto.
Pensando nisso, preparamos este guia com as principais informações que você precisa ter em mente. Saiba como funciona o Enem, desde o momento da inscrição até a escolha de uma universidade para sua formação!

COMO FUNCIONAM AS PROVAS?

O Exame Nacional do Ensino Médio, popularmente conhecido como Enem, é uma prova com 180 questões de múltipla escolha, divididas em dois dias:
  • no primeiro são 90 questões mais a redação em cinco horas e meia de duração;
  • o segundo tem cinco horas e mais 90 questões para o candidato resolver.
A intenção é medir o nível de conhecimento dos estudantes que estão saindo do Ensino Médio em busca do seu caminho na graduação. Para isso, entre as questões, muitos conteúdos vistos durante a educação básica costumam aparecer. Eles são divididos em quatro áreas do saber, com 45 enunciados cada:
  • Linguagens e Códigos: além de Língua Portuguesa, Estrangeira (Inglês ou Espanhol) e Literatura, aparecem Artes, Educação Física e Tecnologias da Comunicação e Informação;
  • Matemática: envolve cálculos, fórmulas e conceitos dessa área;
  • Ciências da Natureza: engloba as matérias de Biologia, Química e Física;
  • Ciências Humanas: traz as disciplinas de História, Geografia, Sociologia e Filosofia.
Esses quatro cadernos se unem à redação a fim de compor a nota e cada um deles vale 1.000 pontos. Isso significa que o texto escrito equivale a 20% da pontuação. Devido a essa importância, é preciso entender o que a banca avaliadora cobra na correção. Ao todo, são cinco competências, segundo o Inep:
  • domínio da Língua Portuguesa em sua forma culta, o que inclui ortografia, pontuação, acentuação, concordância e assim por diante;
  • compreensão do tema proposto, sem se desviar do que foi pedido no enunciado;
  • organização dos argumentos para a apresentação no texto;
  • respeito aos Direitos Humanos em toda a redação;
  • capacidade de reunir mecanismos linguísticos ao compor a argumentação, o que envolve a própria estrutura dissertativa, conjunções, inter-relação de frases etc.
Você tem até 30 linhas para escrever o texto e não deve exceder esse número. Também não é aconselhado rasurar ou copiar qualquer informação do enunciado ou conteúdos de apoio – mesmo que sejam bem interessantes para sua argumentação. Evite qualquer frase em primeira pessoa do singular, deixando-a o mais impessoal possível, combinado?

ENEM DIGITAL

Na edição de 2020 se inicia o Enem Digital. Muitos pensam que será uma prova realizada de casa, por meio do próprio computador. Mas saiba que isso não é verdade. Nos dias indicados no cartão de confirmação, quem escolheu esse formato precisa comparecer ao local do exame e realizá-lo em uma plataforma online, pelos equipamentos disponíveis.
Os dias da realização e as questões não serão os mesmos, apesar de o conteúdo a ser estudado se assemelhar. Entre os objetivos desse novo formato estão a economia de despesas e a redução de impactos ao meio ambiente, com cadernos digitais em vez de impressos.
A principal vantagem do Enem Digital, entretanto, é a interatividade. Por mais que a versão física já traga elementos visuais, como quadrinhos, desenhos e infográficos, o texto corrido predomina. Na plataforma online, é possível diversificar os tipos de questões, avaliando diferentes habilidades dos candidatos.
Até o momento, somente quem escolheu a opção no dia de inscrição fará a prova online. Mas, a partir de 2026, estima-se que todos os candidatos terão o Enem Digital enquanto regra. Então, vale se familiarizar com esse formato desde já para garantir um bom rendimento em edições futuras.

NOTA DO ENEM

Se você pensa que a sua pontuação é a soma de questões que acertou, saiba que não é bem assim. A nota do Enem considera a Teoria da Resposta ao Item (TRI). Na prática, isso significa que as perguntas têm diferentes níveis de dificuldade, com o objetivo de avaliar a consistência do candidato.
Em outras palavras, se você chutar algumas questões, acertando as mais difíceis, mas errando as fáceis, sua nota pode não ser tão alta assim. Então, melhor resolvê-las com base no seu conhecimento, certo?
Mais adiante neste post, veremos a importância de um bom desempenho no exame. Mas sempre tenha em mente que ele pode ser a sua porta de entrada para uma boa universidade — o que representa o começo de uma carreira de sucesso.

QUEM PODE PARTICIPAR DO EXAME?

Estudantes que estão finalizando o terceiro ano do Ensino Médio são os principais candidatos ao Enem todos os anos. Mas não são os únicos que podem participar. Aqueles que quiserem entender como a prova funciona conseguem se inscrever enquanto treineiros. Na prática, é o mesmo exame, mas sem o direito de usar a nota para ingressar em um curso superior.
Pessoas que desejam voltar a estudar ou dar início à graduação muito tempo depois da conclusão do Ensino Médio também têm vez nessa prova. Novamente, é a forma facilitada de conquistar a vaga na universidade.

COMO FAZER A INSCRIÇÃO?

O primeiro passo para se inscrever no Enem é acessar a página do Inep. Lá, você encontra o edital com as informações mais importantes da prova. Leia atentamente e, se possível, tome nota de datas que não pode perder. Uma delas é a de inscrição. Geralmente, elas são abertas no mês de maio.
Nesse período, é preciso acessar o site novamente para cadastrar seus dados (CPF, e-mail etc.) e sinalizar o desejo de participar da edição do Enem. Em seguida, é gerado um boleto de pagamento da taxa de inscrição – em 2020, o valor foi de R$ 85. Alguns candidatos podem solicitar a isenção, em casos de:
  • terem estudado o último ano do Ensino Médio em escola pública;
  • apresentarem renda de até meio salário mínimo por pessoa da família ou total de até três salários mínimos;
  • comprovarem a conclusão do Ensino Médio em escolas públicas ou particulares com bolsa integral e renda familiar de até 1,5 salário mínimo por pessoa.
Vale lembrar que, na inscrição, você também escolhe qual das Línguas Estrangeiras deseja enfrentar no caderno de Linguagens e Códigos: Inglês ou Espanhol. Cuidado ao definir a sua preferida, pois não é possível mudar depois de concluído o procedimento, certo?
Se tiver alguma necessidade especial, de atendimento especializado ou específico, esse é o momento de avisar à organização da prova. Aqui entram os casos de pessoas com deficiência, gestantes, entre outros.

POR QUE É IMPORTANTE FAZER A PROVA DO ENEM?

Você provavelmente já está ciente sobre a importância da graduação. Mas, antes de chegar lá, existem alguns passos – e um deles é a aprovação no vestibular.
O Enem surgiu para facilitar o acesso ao Ensino Superior a muitos estudantes no país. Diante da complexidade e da confiabilidade da prova, as instituições de ensino passaram a enxergar diversas vantagens de adoção da nota em seus processos seletivos.
Em algumas universidades, a matrícula só pode ser feita com o desempenho no Enem. Para isso, elas estabelecem uma nota de corte. Como o próprio nome sugere, ela funciona como o mínimo que o candidato precisa tirar na prova para garantir a sua vaga – o que só dá para saber no momento da seleção.
Já as que não aceitam essa pontuação integralmente podem usá-la enquanto parte da nota do vestibular próprio. Isso sem falar em benefícios como bolsas e financiamentos. O FIES e o Prouni são bons exemplos: é preciso atender aos pré-requisitos de renda e ter rendimento acima de 450 pontos nas questões objetivas e superior a zero na redação.

COMO SE PREPARAR PARA O ENEM?

Agora que você sabe o quanto uma boa nota no Enem pode ser decisiva em seu ingresso na graduação, nada melhor que conferir dicas para mandar bem na prova, não é mesmo? Separamos algumas sugestões para iniciar seu planejamento quanto antes!

FAÇA UM CRONOGRAMA DE ESTUDOS

Se você reparar no edital do Enem, vai ver que existem muitas disciplinas a serem estudadas para a realização da prova. Como vimos, são quatro grandes áreas do saber que se interligam nas questões, o que exige uma dose extra de estratégia na hora de se dedicar.
Para garantir que nenhuma delas fique de fora, invista na organização desde o início. Elaborar um cronograma de estudos é uma excelente maneira de se organizar. Para isso, separe os períodos do dia em que você tem disponibilidade – aqueles em que não está no trabalho, dormindo ou em outro compromisso importante. Disponha-os em uma folha de papel ou mesmo em um documento no computador, para ficar bem visível.
O próximo passo é fazer uma lista com todos os conteúdos a serem estudados, divididos em disciplinas. Então, distribua-os entre os horários disponíveis. Aqui, algumas dicas são essenciais:
  • reserve o período de maior produtividade a conteúdos em que você sente mais dificuldade. Assim, amplia as chances de absorvê-los sem tantos problemas;
  • tenha momentos destinados a imprevistos e atividades da sua vida pessoal, a fim de recarregar os ânimos e não se enrolar no cronograma;
  • lembre-se de dedicar tempo à redação e às revisões, que ajudam a compreender melhor o que foi estudado;
  • insira espaços para consumir conteúdos noticiosos, como veremos em seguida.

 

APRENDA A GERIR MELHOR SEU TEMPO

Se você perguntar aos estudantes que já prestaram o Enem qual é a maior dificuldade da prova, muitos vão responder que é a falta de tempo. Vale lembrar que o grande desafio é, na verdade, a gestão dele. Além de se preocupar com as respostas e a leitura de enunciados, ainda há o gabarito a ser preenchido e, em um dos dias, a redação.
A dica de ouro é saber lidar com seu tempo em diferentes momentos dos estudos. Tenha o hábito de cronometrar suas atividades de modo a entender como suas técnicas funcionam e, aos poucos, fazer melhorias. Em poucas semanas, já terá mais confiança e agilidade na resolução das questões – e, consequentemente, maior produtividade.

FIQUE POR DENTRO DAS ATUALIDADES

A prova do Enem é bem conhecida por sua interdisciplinaridade. Isso significa que alguns fatos do dia a dia, que acontecem no Brasil e no mundo, podem aparecer em meio às questões objetivas e à redação. É então que seu repertório de conhecimentos e a capacidade de interpretação de textos entram em cena.
Para se preparar, tenha o hábito de ler jornais e revistas, assistir aos noticiários, ouvir podcasts de atualidades, pesquisar diferentes opiniões sobre os fatos e assim por diante. O único cuidado é checar as fontes das suas buscas, para não cair nas armadilhas das fake news e dos conteúdos que vão de encontro aos Direitos Humanos.
Além disso, leve esses temas às conversas com seus amigos e familiares para defender seu ponto de vista – sem brigas, combinado? Essa é uma excelente técnica de estudo que ajuda a treinar sua argumentação e mandar bem no texto dissertativo.

PROCURE PROVAS DE ANOS ANTERIORES

Uma das melhores formas de estudar para o Enem é conhecendo os estilos das perguntas para saber como desvendar possíveis pegadinhas. Afinal, chegar de forma despreparada no dia da prova é só mais uma maneira de ativar a sua ansiedade, não acha? Por isso, procure na internet os cadernos dos anos anteriores e tente resolvê-los.
Uma boa alternativa é fazer a prova toda com o cronômetro ligado, simulando o dia do Enem. Com isso, você consegue trabalhar melhor o tempo e as emoções na resolução das questões. Para complementar, busque simulados prontos em sites de confiança. Eles são preparados com base nos padrões do exame e ajudam bastante a pegar ritmo.

ESTUDE PELAS CORREÇÕES COMENTADAS

Aproveitando o gancho das provas de anos anteriores, muitos professores comentam a resolução das questões no pós-Enem. Essa é a forma que encontram de levar conhecimento aos estudantes e, claro, tirar um pouco daquela ansiedade até que saiam os gabaritos com as respostas certas.
O que você pode fazer é resolver as questões e, em seguida, procurar essas correções comentadas. Assim, fica sabendo onde errou, o motivo e o que pode usar como solução para não cometer os mesmos deslizes no futuro.

ENTENDA A REDAÇÃO E TREINE BASTANTE

Como vimos, uma boa redação faz muita diferença na nota do Enem. Vários estudantes não dão tanta importância a ela, em especial pelo receio de não saberem escrever bem. Se você pensa assim, fica aqui a dica para mudar de abordagem: o texto dissertativo-argumentativo é bem possível de ser aprendido e aprimorado com o treino.
Praticar a redação ao menos uma vez na semana ajuda não só a acompanhar as tendências das provas e atualidades, também é um jeito de melhorar seu repertório e argumentação. Mas você sabe como é a estrutura pedida no Enem? Veja só:
  • introdução: é o momento de apresentar o tema e expor a tese que você vai defender;
  • argumentos: são dois ou três parágrafos em que é preciso comprovar seu ponto de vista a partir do seu poder de persuasão;
  • conclusão: você deve retomar brevemente o que foi dito até então e apresentar uma proposta de intervenção.

PREPARE-SE EMOCIONALMENTE

A saúde emocional é uma poderosa aliada na realização de qualquer prova de vestibular – e praticamente em todas as situações da sua vida. Isso significa que de nada adianta virar noites estudando se sua mente não suporta mais essa alta carga de trabalho. Inclusive, essa é uma estratégia prejudicial à produtividade e concentração.
Para não chegar à exaustão, busque o equilíbrio em sua rotina de estudos. Separe um tempo para o lazer: assistir a uma série, conversar com os amigos, passar momentos de qualidade com a família e tudo que fizer bem à mente. Isso ajuda a recarregar as energias e dar ainda mais motivação para seguir se dedicando.
Ademais, procure praticar atividades físicas quando puder. Além de ativarem a circulação do sangue, elas fazem bem ao corpo e aumentam a disposição. Isso sem falar nas competências adquiridas nesses exercícios, como a concentração, o cuidado com seus sentidos e a disciplina.
A alimentação também é importante para manter o equilíbrio do organismo. Pense nas vezes que tentou estudar após um almoço pesado, por exemplo. A vontade de fazer qualquer coisa vai embora, certo? Então, melhor buscar refeições mais leves nas vésperas da prova e até durante sua rotina de dedicação.

COMO ESCOLHER UMA BOA FACULDADE?

Para fechar este guia, vale a pena considerar que o Enem abre portas para a universidade da sua escolha. Mas, para chegar nessa decisão, é preciso ficar de olho em alguns aspectos. A seguir, explicamos os principais!

CONFIRA A AVALIAÇÃO DO MEC

O Ministério da Educação (MEC) avalia as instituições de ensino a partir de alguns indicadores. Então, procure saber as notas, que vão de 1 a 5, para:
  • Conceito Enade: extraído a partir da nota de estudantes universitários selecionados;
  • Conceito Preliminar de Curso (CPC): avalia a infraestrutura, o corpo docente, os recursos pedagógicos e assim por diante;
  • Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC): composto pelas notas dos últimos CPCs, verificando a qualidade da graduação e da universidade.

PROCURE A MATRIZ CURRICULAR DO CURSO

Mais do que saber qual é a profissão que você deseja seguir, é válido verificar se o curso contempla as particularidades dessa carreira pela qual você se interessa. Confira as disciplinas oferecidas na matriz curricular e entenda como ela é composta, a partir de quais vieses.
Garanta também que os conteúdos sejam atualizados e preparem você integralmente para o mercado de trabalho. Assim, já sai com o diploma em mãos e a bagagem necessária para uma atuação de excelência.

AVALIE A INFRAESTRUTURA E CORPO DOCENTE

Mesmo em uma graduação EAD é importante entender como funciona a infraestrutura de uma universidade. Em modelos híbridos de aprendizagem, por exemplo, você vai frequentar o polo alguns dias da semana, tornando esse local essencial. Portanto, confira laboratórios, bibliotecas, espaços de convivência etc.
A infraestrutura online também deve oferecer o que você precisa para acessar os conteúdos e estudar sem complicações. Verifique se há espaços de diálogo entre estudantes e com os tutores. Também é essencial ter um canal para fazer solicitações diretamente na secretaria e resolver as questões burocráticas sem sair de casa.
Além do mais, pense que os professores são muito importantes para encurtar seu caminho até o aprendizado. Avaliar o corpo docente é relevante, principalmente, se você quer investir em atividades acadêmicas, de pesquisa e iniciação científica.

ENTENDA SE HÁ SUPORTE AO ALUNO

Existem universidades que vão além de disponibilizar os conteúdos para que os estudantes acompanhem. Elas se preocupam com a formação desses futuros profissionais, oferecendo suporte a dúvidas, problemas específicos e outros fatores. Logo, pesquise se as instituições de seu interesse entram nessa lista, de modo a garantir um aprendizado completo em todos os sentidos.

CONVERSE COM EX-ALUNOS

Ninguém melhor para garantir os diferenciais pregados pela instituição de ensino do que quem estudou nela. Com as redes sociais, é fácil encontrar ex-alunos e até estudantes atuais. Pergunte como foi (ou é) a experiência deles e considere que alguns desapontamentos podem ser relacionados com o perfil da pessoa – e não um problema da universidade.

VEJA OS DIFERENCIAIS DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO

Muitas universidades se diferenciam pelos benefícios que oferecem aos estudantes. Confira todos eles na página institucional, desde as possibilidades de bolsas e financiamento estudantil aos programas de extensão.
Também é viável entender como são compostas as disciplinas – quando a universidade trabalha uma metodologia hands on, por exemplo, ajuda no desenvolvimento profissional e pessoal do aluno, enquanto o motiva a buscar uma atuação estratégica em sua área. Afinal, ao colocar a mão na massa e aprender na prática, sua futura carreira só tem a ganhar.
A forma como funciona o Enem é simples de entender – o desafio mesmo é aplicar as dicas deste post e manter a confiança em seus estudos. Lembre-se de que essa prova é essencial na conquista da sua vaga em um dos cursos superiores mais procurados do país, na universidade dos seus sonhos. Por isso, prepare-se quanto antes e aproveite ao máximo as nossas dicas.
Se está em busca de uma graduação de excelência e que preencha os requisitos que apresentamos neste post, venha para a Universidade Veiga de Almeida. Entre em contato e conheça mais sobre nossas ofertas!