Você está aqui

Notícia

< Voltar

Notícia < Voltar

Campus: 
Tijuca
Barra
Cabo Frio

Projeto possibilita interação entre crianças no isolamento social

Universidade Veiga de Almeida   |    Tijuca Barra Cabo Frio

Projeto Brincar foi elaborado pelos alunos de Psicologia da UVA

 

Alunos de Psicologia da Universidade Veiga de Almeida (UVA) desenvolveram o projeto Brincar, que promove a interação entre crianças durante o isolamento social ocasionado pelo novo coronavírus. O projeto faz parte da atividade de Psicologia e Sustentabilidade do curso e a ideia surgiu como forma de dar andamento ao estágio dos estudantes no Centro de Desenvolvimento Infantil Jardim Vovó Carmem, que fica em Botafogo, Rio de Janeiro.

 

A professora Maria de Lourdes, supervisora do estágio, explica que a parceria com a creche começou no início deste ano, cujo objetivo é capacitar professores e pais em questões ligadas à sustentabilidade e ajudar a transformar a instituição num sistema ecológico. Para isso, o primeiro passo seria mapear as demandas internas. “Iriamos fazer o levantamento no primeiro semestre deste ano e determinar um plano de ação para mobilizá-los. Mas veio a pandemia e decidimos repensar a primeira fase do projeto”, conta.

 

Maria de Lourdes destaca que na situação de confinamento os pais sofrem a pressão das obrigações de trabalho, organização da casa, manter a rotina de tarefas escolares e não conseguem suprir a necessidade de interação com as crianças, já que a creche é também um lugar de convivência, troca e sociabilização. Pensando nisso, ela e os alunos da UVA se reuniram virtualmente com a direção da creche para pensar numa forma de mitigar os efeitos psicológicos desse momento.

 

O projeto Brincar funciona da seguinte maneira: os pais capturaram momentos lúdicos de brincadeira das crianças e compartilham entre as famílias. O conteúdo definido para cada vídeo é de no máximo, um minuto e meio, para que as crianças possam se reconhecer. O compartilhamento dos vídeos é dividido por turma e faixa etária. Segundo a professora, , o objetivo do trabalho é manter a memória das crianças ativa.

 

Além de desenvolverem a metodologia para a captação das brincadeiras, os alunos da UVA também editam o material enviado pelos pais. O próximo passo do projeto será coletar os relatos das famílias para saber como foi o processo para cada criança. “A brincadeira é o que atualmente oxigena nossas mentes. Não é à toa que gostamos de receber vídeos com coisas engraçadas porque o humor é uma forma de brincadeira. Sabemos que esse será também um recorte histórico para quando a criança chegar até a vida adulta, se entender no contexto da pandemia e saber como solucionou os seus problemas foram solucionados”, destaca a professora.

 

22/mai/2020

Tema:
UVA,