Você está aqui

Profissão de designer de interiores e ambientes é regulamentada

Profissão de designer de interiores e ambientes é regulamentada

Direitos vão proporcionar diversos benefícios aos profissionais da área

Para atender as necessidades do mercado de trabalho, diversas profissões estão conquistando cada vez mais espaço, como a de designer de interiores. Seguindo este avanço, foi sancionada, no dia 12 de dezembro, a Lei 13.369 que garante a profissão de designer de interiores e ambientes. 

Com a regulamentação, os designers terão salário mínimo profissional, conselho de classe, entre outros benefícios. Para a coordenadora de Design de Interiores da Universidade Veiga de Almeida (UVA), Beatriz Chimenti, as mudanças vão melhorar a eficácia e a qualidade dos projetos. “A regulamentação consolida e reconhece o papel do designer de interiores, que estuda e recebe o diploma para exercer a profissão”, destaca.

A novidade também garantirá a distinção da função exercida, ou seja, garantirá as diferenças entre o trabalho exercido pelo designer de interiores, arquiteto e engenheiro civil. “A concorrência nesta área é bastante acirrada e a regulamentação da profissão passa a dar um respaldo maior ao designer de interiores que antes, apesar de formado, trabalhava sem qualquer reconhecimento legal, dando espaço para preconceitos. Agora cada uma tem a sua função detalhada na elaboração de um projeto”, ressalta Beatriz.

Para suprir o mercado com profissionais qualificados, a Veiga oferece o curso de Design de Interiores desde 2006 no campus Barra Marapendi. Em 2009, o curso também passou a ser oferecido no campus Tijuca.

Veja abaixo as principais diferenças entre um designer de interiores, arquiteto e engenheiro civil: 

ArquitetoEngenheiro CivilDesigner de Interiores
Responsável pelo projetoResponsável pela obraResponsável pela área interna
Projeta a construçãoProjeta a estruturaProjeta o interior
Elabora o projetoElabora o cálculo Elabora a redistribuição interna